fbpx

Mindfulness e o cultivo da Inteligência Emocional

Nossa mente é permeada por pensamentos, sentimentos, emoções e, facilmente entramos no piloto automático e deixamos que as emoções tomem conta de nossa forma de agir, o que pode trazer diversas dificuldades em todas as áreas de nossa vida.

A emoção é uma resposta fisiológica e automática do nosso cérebro frente a uma ameaça ou estresse – seja ele real ou imaginário. Trata-se de um mecanismo evolutivo, que nos habilita a responder ao ambiente no qual vivemos. 

Dessa forma, não podemos falar em “controlar” nossas emoções, mas podemos trabalhar a “regulação emocional” em prol de uma vida mais saudável e feliz. 

A maneira que agimos diante das emoções que sentimos pode ser uma escolha consciente e pode fazer toda a diferença nos resultados que obtemos em cada desafio ou situação.

A Inteligência Emocional, de que tanto se ouve falar atualmente, e que tem sido uma qualidade procurada e valorizada no ambiente de trabalho, trata-se dessa capacidade de você identificar e reconhecer os próprios pensamentos, sentimentos e emoções e, de entender como você reage e atua diante deles. 

É também identificar e interpretar as emoções e sentimentos de outras pessoas, e usar dessas informações e  interpretações para guiar seus próprios pensamentos e ações, de maneira empática, assertiva e consciente.

A Inteligência Emocional é uma competência fundamental em líderes, pois uma pessoa emocionalmente inteligente tem como características e habilidades a capacidade de autogestão de seus sentimentos e pensamentos, a empatia, a capacidade de motivar-se a si mesmo e aos outros, além de autocontrole para saber agir sem reatividade e com certo grau de afastamento, evitando entrar no piloto automático que nos leva a reações impensadas e muitas vezes impulsivas.

Quem age com Inteligência Emocional cultiva relacionamentos mais saudáveis e positivos, tanto no âmbito pessoal como profissional. Consegue também sentir-se motivado e persistir para alcançar seus objetivos, pois exercita a disciplina e o autocontrole de maneira tranquila. 

Essas pessoas também lidam melhor com suas emoções, mesmo em situações tidas como estressantes ou desafiadoras, pois têm um aguçado autoconhecimento e senso de si, bem como a capacidade de autogestão, sabendo gerenciar o estresse e lidar de maneira saudável e positiva com a raiva e a tristeza, por exemplo. 

Uma perspectiva positiva e orientada para a solução também contribui para o sucesso e percepção de felicidade das pessoas emocionalmente inteligentes.

Embora as noções de Inteligência Emocional e de sua importância datem do século 19, quando Charles Darwin afirmou em sua obra a importância da expressão emocional para a sobrevivência e adaptação, de maneira geral, ainda não entendemos a importância da educação emocional. 

Salvo algumas exceções, ainda não se ensina valores como a empatia, o autoconhecimento e a auto regulação nas escolas e ainda não é tão comum que se ensinem essas habilidades em casa.

Por esse motivo, na vida adulta o mais comum é que as pessoas não saibam lidar com suas emoções e gerenciar seu próprio estresse. 

Preferimos evitar entrar em contato com emoções tidas como negativas, tais como a raiva e a tristeza. Esses sentimentos costumam ser expulsos, abafados, “varridos para debaixo do tapete”, pela tendência humana de evitar o sofrimento. 

Quando fingimos que tais emoções e sentimentos não existem, ou não sabemos como expressar ou lidar de maneira saudável com a situação, acabamos por nos desequilibrar emocionalmente, de forma que ficamos sem paciência, nos estressamos com pouco, nos exaltamos em situações desafiadoras ou acabamos por despejar em outras pessoas as nossas frustrações, o que gera mais problemas.

A Inteligência Emocional pode e precisa ser exercitada e desenvolvida, já que é muito comum nos envolvermos com nossos pensamentos e elaborarmos toda uma história em nossa cabeça, carregadas por julgamentos e percepções que são frutos de nossas vivências e que podem nos distanciar da realidade e objetividade da situação. 

Se não trabalhamos a nossa Inteligência Emocional, nos engajamos em pensamentos ruminantes, que além de não serem úteis podem alimentar o estresse, a ansiedade e o cansaço mental.

A Inteligência Emocional pode ser adquirida, desenvolvida e treinada, de forma que todos podem tornar-se emocionalmente inteligente e mentalmente saudável. Fazer uso dessas habilidades para ter melhorias em seus relacionamentos, no desempenho profissional e na qualidade de vida. 

Inteligência Emocional colabora com a saúde mental, satisfação pessoal e felicidade genuína.

Mindfulness é uma valiosa técnica para o desenvolvimento da Inteligência Emocional, pois promove o autoconhecimento, o foco no momento presente, a autogestão das emoções e gerenciamento do estresse, além de reduzir o excesso de pensamentos, a reatividade e o constante julgamento pelo qual facilmente podemos nos deixar levar com uma mente destreinada e distraída.

Dentre as diversas práticas que podem contribuir para o desenvolvimento da inteligência emocional, encontramos  o exercício de pararmos por um instante para nos observar e “etiquetar” nossos sentimentos e emoções. Quando um pensamento ou sentimento passa por nossa mente, nós nomeamos do que se trata: tristeza, medo, divagação etc. Esse exercício nos ajuda a nos colocarmos como observadores de nossos pensamentos, trazendo um certo distanciamento, importante e necessário para situações em que precisamos avaliar como agir, decidindo com consciência e não por impulso.

Como está a sua Inteligência Emocional?

De que maneira você tem lidado internamente e externamente com seus desafios diário?

Que tal começar a desenvolver em você essas mudanças positivas para a sua vida pessoal e profissional? 

Mindfulness e o cultivo da Inteligência Emocional
Rolar para o topo
Scroll Up